domingo, dezembro 24, 2006

O núcleo de Aveiro da Amnistia Internacional deseja a todos um Feliz Natal.













terça-feira, dezembro 12, 2006


Parlamento distingue Amnistia Internacional




O Prémio Direitos Humanos da Assembleia da República de 2006 foi atribuído à Amnistia Internacional-Secção Portuguesa, pelo seu trabalho a nível internacional com repercussões em Portugal, em especial as campanhas realizadas este ano, Diga Não à Violência sobre as Mulheres e Control Arms.

segunda-feira, dezembro 11, 2006

Palestra "Violencia sobre as mulheres"
Dia 16 de Dezembro, às 15:00
na Biblioteca Municipal de Aveiro

quarta-feira, dezembro 06, 2006


Uma Carta Pelos Direitos Humanos
Maratona de Cartas (9 e 10 de Dezembro)

O objectivo desta iniciativa é enviar o maior número possível de cartas para apoiar, individualmente, as vítimas de violações dos Direitos Humanos. Na maior parte dos casos, as cartas enviadas resultam numa melhoria das condições das pessoas visadas nos apelos.
Não é preciso grande esforço para participar na maratona. Cada participante deve apenas escrever algumas cartas, pois o que importa é o número total de cartas. Afinal, todos juntos fazemos a diferença...
Este ano foram seleccionados 5 casos que pretendem ilustrar a diversidade de situações que a AI tenta inverter todos os dias.
Quer participar? Veja como aqui.
Entreguem as armas ilegais


... é o nome de uma campanha lançada pela Comissão Nacional Justiça e Paz (Observatório Permanente sobre a Produção, Comércio e Proliferação de Armas Ligeiras).
De acordo com Nova Lei das Armas: qualquer pessoa detentora de armas não licenciadas pode proceder á sua regularização ou entregá-las às Forças de Segurança sem penalização até ao dia 20 de Dezembro de 2006.
"Quem tenha armas sem licença pode entregá-las até 20 de Dezembro de 2006 sem ser penalizado. Regularize ou entregue as armas não licenciadas. Dirija-se ao posto da GNR ou à esquadra da P.S.P. mais próximos da sua residência. Lembre-se de que quem tenha armas sem licença é punido com prisão."
"SABIA QUE: Para ter uma Licença de uso e porte de arma ou renová-la precisa de:
. Frequentar um curso de formação específica.
. Passar exames de avaliação e médico.
. Fazer um seguro de responsabilidade.
SABIA QUE: Quem tiver revólver ou pistola terá de justificar o uso das respectivas munições e registá-lo em caderneta própria.
SABIA QUE: Em casa, as armas têm de estar bem guardadas e fechadas num cofre.
SABIA QUE: As munições têm de estar guardadas em local separado da arma.
SABIA QUE: A Nova Lei das Armas pune com muita severidade os que forem encontrados com armas, sem licença:
.Prisão de 2 a 8 anos para armas de guerra.
.Prisão de 2 a 5 anos para as outras armas."
Tráfico de seres humanos atingiu "proporções epidémicas" na última década

"O tráfico de seres humanos atingiu "proporções epidémicas" na última década, com um mercado anual de cerca de 32 mil milhões de euros, denuncia o Conselho da Europa.
O problema tornou-se mais visível na Europa, quando alguns países da Europa Oriental entraram na União Europeia. O tráfico de seres humanos aumentou porque "é muito mais fácil passar as fronteiras com pessoas do que com drogas ou armas", disse Marta Requena, directora-geral dos Direitos Humanos do Conselho da Europa, num seminário que decorreu na Grécia."
Leia toda a notícia aqui.
Para mais informações sobre este assunto consulte o site do Conselho da Europa sobre o tráfico de seres humanos.

segunda-feira, dezembro 04, 2006


Presente de Natal: sugestão

“Contos de Um Mundo com Esperança” é uma compilação de Contos Infantis inéditos sobre Direitos Humanos, que teve como ponto de partida o objectivo de “ensinar” os Direitos Humanos de uma forma didáctica e atractiva.
Pode fazer a sua encomenda através do nosso e-mail: amnistiaveiro@gmail.com
preço: 13€
Projecto ‘Viver os Direitos Humanos’


Decorrem até ao final do próximo mês de Dezembro as inscrições para o projecto “Viver os Direitos Humanos”, uma iniciativa destinada a escolas do ensino básico e secundário que tenham clubes, núcleos ou oficinas a trabalhar na área dos direitos humanos e da cidadania.

Resultado de uma parceria entre a Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular (DGIDC) e a Secção Portuguesa da Amnistia Internacional (AI), o projecto “Viver os Direitos Humanos” terá uma componente online, materializada num site que, além de dar a conhecer a iniciativa e apresentar o plano e a calendarização das actividades, divulgará os projectos das escolas.

Na mesma vertente online, será também facultada a troca de experiências, criando-se um e-mail de grupo/escolas para levantar questões, divulgar eventos, etc.

Está igualmente prevista a realização de acções de sensibilização nas escolas e a cedência de materiais (cartazes, vídeos, filmes, DVD’s, livros, etc.), para as instituições de ensino montarem exposições e/ou organizarem sessões de divulgação e debate em redor do tema dos direitos humanos e da cidadania.

As escolas interessadas podem inscrever-se através do site da DGIDC, introduzindo o seu código de utilizador (código GIASE) e respectiva palavra-chave e preenchendo, posteriormente, uma ficha online.

Fonte: Portal do Cidadão

sexta-feira, novembro 10, 2006


TPI vai decidir se acusa Thomas Lubanga (senhor da guerra congolês)


"Os representantes legais de crianças-soldados da milícia do antigo senhor da guerra congolês Thomas Lubanga apresentaram ontem, perante o Tribunal Penal Internacional (TPI), as primeiras provas do que defenderam ser "um caso sustentado". O líder da milícia União dos Patriotas Congoleses (UPC), de 45 anos e formado em Psicologia, é o primeiro suspeito a ser levado a Haia, desde que o tribunal permanente foi criado em 2002 para julgar indivíduos por crimes de guerra.Thomas Lubanga é acusado de recrutamento forçado de crianças entre Julho de 2002 e Dezembro de 2003 para combaterem no braço armado da UPC, milícia fundada em 2002 em Ituri, região do Nordeste da República Democrática do Congo onde a violência étnica entre lendu e hema causou 60 mil mortos desde 1999. A acusação começou a apresentar na audiência de ontem, primeira da fase preliminar que se prevê durar até ao final do mês, as provas reunidas contra Lubanga - sustentadas nos casos de seis crianças-soldados -, devendo os juízes decidir em Janeiro se existe matéria para julgamento." in www.publico.pt

Se quer ler mais sobre o assunto crianças soldado (em inglês) vá a http://web.amnesty.org/pages/childsoldiers-index-eng

sexta-feira, novembro 03, 2006

1º julgamento de mutilação genital feminina nos EUA

Um emigrante etíope nos EUA foi condenado a 10 anos de prisão, pela mutilação genital da sua filha. Khalid Adem cortou o clítoris da sua filha de dois anos com uma tesoura. Este foi o 1º julgamento por mutilação genital feminina nos EUA, apesar de se saber que esta prática é realizada em algumas comunidades.

terça-feira, outubro 31, 2006


Campanha Control Arms
Depois de três semanas de campanha em Nova Iorque e mais de três anos de acções por todo o mundo, a Campanha Controlar as Armas obteve uma grande vitória a 26 de Outubro de 2006, quando 139 Governos votaram a favor da Resolução da ONU para o começo dos trabalhos sobre um Tratado Internacional de Comércio de Armas (ATT).
Obrigada a todos os que participaram nesta campanha!

quinta-feira, outubro 19, 2006

Campanha Control Arms

Está neste momento a decorrer a Assembleia Geral das Nações Unidas que decidirá sobre o início dos trabalhos para a concretização de um Tratado sobre o Comércio de Armas. Com apenas um "clik", os activistas podem enviar emails para os Ministérios dos Negócios Estrangeiras de oitos países lembrando-lhes a necessidade de apoiar um Tratado Internacional de Comércio de Armas que faça referências explícitas aos Direitos Humanos. Mais de oitenta estados (de um total de 192) já apoiam a resolução sobre o Tratado Internacional de Comércio de Armas no Primeiro Comité da Assembleia Geral das Nações Unidas, o que é bastante promissor. A votação decorrerá possivelmente a 25 de Outubro, quarta-feira. Esta última fase antes da votação é, deste modo, absolutamente crucial para exercermos pressão e assegurarmo-nos de que a resolução segue com uma maioria absoluta e complete três anos de campanha com sucesso. Esperamos encorajar o maior número possível de activistas a agir quanto antes - os próximos dias da campanha serão cruciais à medida que o voto na Assembleia Geral se aproxima.
Colabore!
Vá a http://www.controlarms.org/act_now/action_att.htm e dê-nos o seu apoio! Obrigada!

terça-feira, outubro 17, 2006

17 de Outubro - Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza
Hoje celebra-se a luta contra a pobreza...
Aconselhamos os links:
Dê-nos a sua opinião sobre como acabar com esta "chaga"...

quinta-feira, outubro 12, 2006

Onze mil crianças permanecem em poder de grupos armados na República Democrática do Congo
A AI denunciou num relatório publicado ontem que, na República Democrática do Congo, as crianças representam cerca de 40% dos soldados das forças envolvidas no conflito. Estima-se que sejam 11 mil as crianças sobre controlo dos grupos armados.
Para ler o relatório publicado ontem (em inglês) vá a: http://web.amnesty.org/pages/cod-111006-background-eng

terça-feira, outubro 10, 2006




Imagens da SADH - Semana Aveirense de Direitos Humanos

Pois é amig@s, o que é bom acaba rápido, já diz o "povo"...

Para já, aqui ficam algumas imagens da 1.ª SADH, na esperança de que muitas se lhe sigam!

O nosso sincero Obrigado a todos os que ajudaram, divulgaram e participaram nas actividades que o Núcleo de Aveiro da Amnistia Internacional disponibilizou para todos.
Dia 10 de Outubro - Dia mundial contra a pena de morte

A Amnistia Internacional Portugal assinala este dia e simultaneamente os 160 anos decorridos sobre a última execução da pena de morte em Portugal, através de uma largada de balões brancos em sinal de apelo pacífico aos países que ainda mantêm a pena de morte. Esta largada de balões terá lugar no Terreiro do Paço, em Lisboa, às 17h30.
No mesmo dia, em vários pontos do país, será iluminado o pelourinho ou local de igual importância simbólica de cada município. Ao iluminar este tipo de monumento, as cidades estarão a apelar à abolição universal da pena de morte, tendo esta acção como objectivos: encorajar a discussão pública sobre a pena de morte, reforçar a sua oposição por parte da sociedade civil, e pressionar os países retencionistas para acabar com as execuções e abolir a pena de morte.
Nesta iniciativa da Amnistia Internacional participam 25 municípios:
- Vale de Cambra - Alvito - Moura - Guimarães - Lagos - Figueiró de Vinhos - Peniche - Porto de Mós - Amadora - Cascais - Lisboa - Loures - Lourinhã - Oeiras - Elvas - Baião - Porto - Póvoa de Varzim - Valongo - Benavente - Santarém - Montijo - Peso da Régua - Penalva do Castelo - Aveiro.
A Câmara Municipal de Aveiro associa-se à comemoração da abolição da Pena de Morte em Portugal tendo prevista a iluminação, cerca das 21.30h, dos seguintes locais:
- Pelourinho de Esgueira;
- Praça da República (onde se situava a cadeia);
-Rua Mendes Leite (Personalidade de Aveiro, deputado nas cortes que teve alguma relevância no processo para a abolição da pena de Morte, em particular pelos crimes políticos).
Convidamos todos os aveirenses a juntarem-se a nós na comemoração deste dia!

sábado, outubro 07, 2006


Relatório da Amnistia Internacional:
Queixas de violência doméstica aumentaram 16%

O retrato é negro: 33 mulheres portuguesas morreram o ano passado às mãos de maridos, companheiros ou namorados. A Amnistia Internacional instou já Portugal a criar com urgência mais casas de abrigo

No relatório intitulado «Acabar com a Violência sobre as Mulheres», divulgado esta terça-feira, a Amnistia Internacional salienta que as 30 casas de abrigo actualmente existentes, que acolhem cerca de 450 mulheres e crianças, «são insuficientes». É «urgente» a criação de novos espaços. E «vital» a reestruturação do Serviço de Informação às Vítimas, disponibilizado através de uma linha verde. Considerando que o encaminhamento das vítimas é «extremamente complicado» em certas alturas, nomeadamente à noite, em época de férias e no Natal, a AI recomenda ainda como urgente a criação de infra-estruturas que permitam acolher temporariamente as mulheres e os seus filhos, «24 horas por dia e 365 dias por ano».
Segundo dados das autoridades policiais referidos neste relatório, mais de 18 mil casos de violência doméstica foram denunciados no ano passado à PSP e à GNR, um número que representa um acréscimo de cerca de sete mil ocorrências desde 2000. Só a PSP registou em 2005 mais de 9 800 queixas de violência doméstica a nível nacional, o que corresponde a um aumento de cerca de 16 por cento relativamente ao ano anterior. As grandes cidades registaram o maior número de casos, com Lisboa a liderar as denúncias (quase 30 por cento do total), seguida do Porto (21,6 por cent o) e de Setúbal (7,9 por cento). O aumento de ocorrências verificou-se igualmente na GNR, que registou 8.377 casos de violência doméstica em 2005, mais 18 por cento do que no ano anterior.´
No total, 33 mulheres foram mortas no ano passado pelos respectivos com panheiros e outras doze perderam a vida, só nos primeiros cinco meses de 2006.
Apesar dos dados das autoridades policiais, a Amnistia salienta que não é possível saber quais são realmente «os valores das chamadas cifras negras, os casos que nunca chegam a ser denunciados». Entre os 13.511 casos de violência doméstica registados em 2004 pela As sociação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), 57 por cento não foram denunciados às autoridades policiais, lembra a Amnistia.
A vergonha, a dependência económica, as crianças, o medo de perseguição e represálias por parte do agressor, o medo de viverem sozinhas e a estigmatização por parte de pais e vizinhos são algumas das razões invocadas pelas mulheres agredidas para justificar a sua submissão à violência, de acordo com a AI.
Além das consequências físicas, traduzidas em hematomas e fracturas, por exemplo, a baixa auto-estima, a ansiedade, irritabilidade e a depressão são al gumas das marcas psicológicas das vítimas de violência doméstica, que muitas vezes acabam por tentar o suicídio. A perda do emprego, em consequência de factores como as baixas prolonga das, a dificuldade de concentração e a baixa produtividade, é também uma consequência muito comum da violência doméstica, segundo a Amnistia Internacional, que defende como fundamental a «facilitação do acesso das vítimas a programas de for mação profissional ou outras formas de apoio para inserção no mercado de trabalho».~
Garantir uma efectiva protecção das mulheres, através da aplicação de medidas de protecção de testemunhas, e determinar a inibição da licença de uso e porte de arma sempre que seja aplicada a medida de afastamento do agressor, ou existam antecedentes de violência doméstica, são outras das recomendações a Portugal deixadas pela AI neste documento. Apesar de reconhecer as «medidas positivas criadas pelo Estado Português no combate à violência doméstica, nomeadamente a elaboração do Plano Nacional Contra a Violência Doméstica», a organização internacional considera que é necessário apostar na Educação para os Direitos Humanos e na formação de todos os profissionais que lidam com este tipo de crime, em particular magistrados, polícias , assistentes sociais e profissionais de saúde.

in VISAOONLINE

terça-feira, setembro 26, 2006

O Fiel Jardineiro
28 de Setembro, às 22h, no auditório da AAUAv

Título original: The Constant Gardener
Realização: Fernando Meirelles
Intérpretes: Ralph Fiennes, Rachel Weisz, Danny Huston, Pete Postlethwaite, Gerard McSorley, Hubert KoundéGrã-Bretanha/Alemanha, 2005

"Numa zona remota do norte do Quénia, a brilhante e fervorosa activista Tessa Quayle (Rachel Weisz) é encontrada brutalmente assassinada. O seu companheiro de viagem, um médico local, desapareceu. Tudo indica tratar-se de um crime passional.
Os membros do Alto Comissariado Britânico em Nairobi partem do princípio que o seu colega Justin Quayle (Ralph Fiennes), o marido de Tessa, pacato diplomata sem ambições, deixará o assunto ao cuidado deles. Não podiam estar mais enganados... " in http://www.cinema2000.pt/
Hotel Ruanda
26 de Setembro, às 22h no Auditório da AAUAv

Título original: Hotel Rwanda
Realização: Terry George
Intérpretes: Don Cheadle, Sophie Okonedo, Desmond Dube, Joaquin Phoenix, Nick Nolte, Djimon HounsouCanadá/Itália/Grã-Bretanha/África do Sul, 2004


“O ano é 1994. Ruanda é palco de uma das maiores atrocidades da história da Humanidade: em apenas 100 dias, quase um milhão de tutsis são brutalmente assassinados por milícias de etnia hutu.
No cenário destas indescritíveis acções, um homem promete proteger a família que ama, acabando por encontrar a coragem para salvar mais de um milhar de refugiados. O filme retrata a história verídica de Paul Rusesabagina, um gerente de um hotel na capital de Kigali que conseguiu evitar o genocídio de mais de 1200 tutsis durante a guerra civil. ...” in www.cinema2000.pt

“A milícia civil do governo Hutu ruandês preparou um massacre de ferocidade sem paralelo contra os Tutsis do país e a Hutus que se opusessem ao regime. Crê-se que durante um período de mais de três meses 1 milhão de pessoas foram mortas e cerca de cento e trinta mil fugiram para territórios adjacentes. Os civis foram instigados por oficiais e rádios patrocinadas pelo governo, onde eram emitidos cânticos, campanhas e palavras de ordem que instigavam as populações a matar os seus vizinhos. As armas para essas “campanhas de morte” eram fornecidas pela França, Reino Unido, África do Sul entre outros países. Neste conflito também foram violadas muitas mulheres. Dessas mulheres, cerca de dois terços estão agora com o Sida e outras estão ainda traumatizadas. Poucas foram as que receberam tratamento ou apoio social e poucos foram também os violadores trazidos à justiça.
Em Julho de 1994 depois da fuga para o Zaire de inúmeros membros Hutus das Forças Armadas Ruandesas o exército da Frente Patriótica Ruandesa (FPR) dominado pelos Tutsis, avançou e ocupou Kigali e quase todo o resto do país. Este facto ocasionou outra grande tragédia, quando entre um e dois milhões de Hutus, incluindo soldados e milícias do governo derrotado se refugiaram subitamente em duas grandes vagas na província de Kivudo no Zaire. Aqui esgotaram completamente os recursos existentes de modo que muitos milhares morreram de cólera ou disenteria antes de lhe chegar auxílio ou antes que pudessem ver garantido o regresso às suas casas. Em finais de Agosto pensou-se que apenas um terço do total da população ruandesa tinha sobrevivido e ainda estava no seu país.” in www.amnistia-internacional.pt

O programa final...depois de algumas correcções.
E atenção...ainda só estamos no início da semana SADH!
Vemo-nos por lá!

segunda-feira, setembro 25, 2006



O Senhor da Guerra

25 de Setembro, no Auditório da Associação Académica da Universidade de Aveiro às 22h

Título original: Lord of WarRealização: Andrew Niccol
Intérpretes: Nicolas Cage, Jared Leto, Bridget Moynahan, Ethan Hawke, Ian Holm, Shake Tukhmanyan, Jean-Pierre Nshanian, Eamonn Walker, Sammi Rotibi, Eugene LazarevEUA, 2005

“Baseado em factos reais, «Senhor da Guerra» é uma história de acção situada no mundo internacional do negócio de armas. O filme explora as consequências do fim da Guerra Fria – a enorme quantidade de armamento que os estados soviéticos venderam a outros países, principalmente a África, e a vasta soma de dinheiro que os negociantes de armas acabaram por ganhar.Um deles é o "dealer" Yuri Orlov. Proveniente da Ucrânia, antes da desunificação da União Soviética, a família Orlov emigrou para a América ainda Yuri era uma criança. Foi a intitular-se descendente de judeus que ele começou uma vida de inúmeras identidades fraudulentas, no mundo obscuro da venda de armas. Penetrando em algumas das mais mortais zonas de guerra, ele luta para ficar sempre um passo à frente do agente da Interpol, dos seus rivais no negócio, até mesmo dos seus clientes, onde se incluem os mais famosos ditadores...” in http://www.cinema2000.pt/ «Senhor da Guerra» é um mergulho na face negra das relações humanas, construído a partir de um retrato íntimo dessas mesmas relações e que tem a virtude de conseguir estabelecer uma sólida ponte entre a sétima arte e a campanha global “Control Arms”, levada a cabo pela AI, Oxfam e Iansa, com a finalidade de ver aprovado um novo Tratado Internacional de Comércio de Armas, em sede das Nações Unidas.http://www.controlarms.org/

quinta-feira, setembro 14, 2006


A exposição alusiva aos 25 anos de actividade da Amnistia Internacional em Portugal estará patente, até ao dia 29 de Setembro, no Hall de entrada da Biblioteca Municipal de Aveiro.

quarta-feira, setembro 13, 2006

Chegou o prometido programa da SADH - Semana Aveirense de Direitos Humanos!
Como podem ver, são vários os eventos agendados para esta semana, que se inicia no Sábado (dia 23 de Setembro) com um atelier para crianças e jovens, a inauguração de uma exposição (e venda) de obras de arte e um concerto de jazz à noite. Nos dias seguintes poder-se-á ainda ver (ou rever) três filmes, inseridos num ciclo de cinema, onde o tema dos Direitos Humanos é abordado de formas interessantes e evidentes. A SADH termina, sexta-feira, com uma palestra e fórum de discussão sobre a temática da defesa dos Direitos Humanos, onde estará Claúdia Pedra a representar a secção portuguesa da Amnistia Internacional, Claúdia Gomes do Centro de Direitos Humanos da Faculdade de Direito de Coimbra, a directora do Gabinete de Apoio ao Imigrante e o Doutor Capão Filipe da Divisão Social da Câmara Municipal de Aveiro.
Todos estes eventos são de entrada livre!
Aproveitamos ainda para agradecer todos os apoios recebidos, sem os quais teria sido impraticável tal realização. A todos o nosso "Muito Obrigado"!
A nossa intenção é clara...pretendemos cativar os aveirenses para que reflictam e se informem acerca dos factos que, dia após dia, estão na origem de diversos atentados contra os "nossos" direitos.
Passa a palavra e passa por cá!
Até já!

sexta-feira, setembro 08, 2006

Ponha o seu capacete azul no mapa!

"Centenas de pessoas em Darfur (oeste do Sudão) continuam a ser torturadas, violadas e obrigadas a sairem das suas próprias casas, apesar do acordo de paz de 5 de Maio de 2006. As Nações Unidas consideram ser preciso cerca de 23.000 capacetes azuis para protegerem os civis e zelarem pelo cumprimento do acordo de paz. A AI exige a presença das forças de manutenção de paz, AGORA!
Junte-se à Amnistia Internacional e "envie-nos" um capacete azul! Participe nesta petição, envie-nos de imediato a sua assinatura, para que as forças de manutenção de paz da ONU se estabeleçam em Darfur AGORA! Precisamos de 23000 assinaturas para os 23000 soldados de manutenção de paz. Junte o seu capacete azul para construírmos um mapa virtual. Não deixe passar esta oportunidade! Dê-nos o seu contributo. O Povo de Darfur Precisa de si!"

Vá a http://www.amnesty.org/protectdarfur

segunda-feira, setembro 04, 2006


O Núcleo de Aveiro da Amnistia Internacional está a organizar a primeira SADH - Semana Aveirense de Direitos Humanos, que decorrerá entre 23 e 29 de Setembro na cidade de Aveiro. Esta semana conta com várias actividades, entre elas, workshops para crianças e jovens, exposição de obras de arte, palestra pública, concertos, entre outras. Para já aqui fica um cheirinho...e uma imagem do cartaz de divulgação. O programa final da semana está prestes a despontar... Até lá!

quinta-feira, agosto 31, 2006


Em resposta à questão que nos foi mais vezes colocada durante a exposição fotográfica alusiva ao comércio ilegal de armas de fogo, cá vai a lista dos principais vendedores e compradores deste "bem". É importante lembrar que, devido ao seu sistema de unidades, 1 bilião de dólares americanos corresponde a 1000 milhões de dólares no sistema de contagem europeu... Como "quem não quer ser lobo não lhe veste a pele", parece-me que há alguns lobos por aí a quererem fazer-se passar por caniches ou a exortar as virtudes de ser vegetariano...
Nada melhor para avaliar um problema do que relativizá-lo...

Excelente "spot" da Secção Francesa da AI...


segunda-feira, agosto 28, 2006


O Núcleo de Aveiro da Amnistia Internacional tem patente, no Hall de entrada da Biblioteca Municipal de Aveiro, a exposição "Amnistia Internacional - 25 Anos a defender os Direitos Humanos em Portugal".
Esta exposição é constituida por 16 painéis A3 que "contam", muito resumidamente, a história da fundação da Amnistia Internacional e dos 25 anos da Secção Portuguesa desta que é, actualmente, a maior organização internacional de defesa dos Direitos Humanos.
A exposição estará patente ao público até ao final de Setembro de 2006, todos os dias úteis das 09h30 às 13h00 e das 14h30 às 18h00.
Vem conhecer-nos!
Olá a tod@s!

Acabei agora de nascer e, tal como nos primeiros minutos do antílope, já me ergui e quero comunicar contigo!

Sei que entendes a minha linguagem e que tens muito para dar ao nosso futuro comum na defesa dos Direitos Humanos, pedras basilares de um desenvolvimento realmente sustentável e sustentado.
Este blog é para ti que estás alerta.
Este blog é para ti que ages e não te contentas com pertencer à esmagadora maioria dos que muito sabem.
Este blog é para ti que tens o mundo inteiro como amigo.
Este blog é para ti que já percebeste o quanto és pequeno e frágil.
Este blog é para ti que também já percebeste a força e o poder que tens quando te juntas a inúmeros pequeninos e frágeis como tu.
Este blog é teu!
Serve-te à vontade e usa-o o melhor que souberes.
Para que um pedacinho deste blog sejas tu...

Muito obrigado pelos contributos vindouros e um grande abraço a todos os que vierem por bem.

Fernando