terça-feira, março 31, 2009

Será possível?




Dayana Mendoza, a actual Miss Universo de 2008, venezuelana, foi a Guantánamo Bay, Cuba, numa visita organizada a 27 de Março para levantar a moral das tropas americanas no estrangeiro.

Sobre a visita à prisão de Guantánamo afirmou: “Visitámos os campos de detenção e as celas, onde tomam banho, como se divertem com vídeos, aulas de arte, livros. Foi muito interessante”, escreveu a Miss Mundo.


Será..... distraída????

Lê a notícia completa no Público

segunda-feira, março 30, 2009

quarta-feira, março 25, 2009

Desafio à ordem do Tribunal Penal Internacional

De que serve um mandato que pode ser ignorado?

"O Presidente do Sudão, Omar Hassan al-Bashir, chegou hoje ao Cairo, na sua segunda deslocação ao estrangeiro desde que o Tribunal Penal Internacional (TPI) passou em seu nome um mandado de captura, por crimes de guerra e crimes contra a humanidade no Darfur.Em teoria, o marechal de campo Bashir arrisca-se a ser detido sempre que deixar o seu país, mas a verdade é que o Egipto, que tem relações muito boas e antigas com o Sudão, já pediu ao Conselho de Segurança das Nações Unidas para suspender o mandado passado pelo TPI."


2008: 2390 execuções no mundo, 72% na China

A Amnistia Internacional revelou ontem que, em 2008, houve mais execuções na Ásia que em qualquer outra parte do mundo, uma vez que só a China realizou mais que a soma de todas as outras partes. A contrastar, o único país na Europa que ainda aplica a pena de morte é a Bielorússia.
O número de pessoas que foram mortas na execução de penas capitais aumentou para quase o dobro em 2008 - sete foram executadas a cada dia que passou. No entanto, o número de países que adoptam esta sentença é cada vez menor.
É o regime de Pequim que surge de novo no topo da lista de executores da AI, responsável por 72 por cento das penas de morte aplicadas no ano passado: junta-se-lhe o Irão (346), a Arábia Saudita (102), os Estados Unidos (37) e o Paquistão (36). Juntos executaram 93 por cento das penas de morte em 2008 e constituem, por isso, o "maior desafio para que se obtenha uma abolição global da pena de morte", sublinha a organização.

Electrónica de sangue

sexta-feira, março 20, 2009

www.malaria.org/

video

quarta-feira, março 18, 2009

Comunidade escolar cigana de Barcelos

A Associação SOS Racismo manifestou hoje "solidariedade" com a comunidade cigana de Barqueiros, em Barcelos, e "repúdio" pelo "acto discriminatório encapuçado de projecto de integração" da escola local, que separou uma turma de alunos ciganos dis restantes estudantes.
Qual é a tua opinião sobre este assunto?

A visita do Papa a África..

O Papa Bento XVI declarou hoje que a distribuição de preservativos não é a resposta adequada para se ajudar a África a combater a Sida: "não se pode resolver com a distribuição de preservativos", pois que, "pelo contrário, isso só irá complicar a situação".


O Vaticano recomenda a abstinência sexual para se combater a propagação das infecções com HIV e foi essa mesma linha que Bento XVI agora reafirmou no início de uma viagem de uma semana aos Camarões e a Angola.


Várias organizações não governamentais, como a camaronesa Mopcat, um movimento para o maior acesso dos doentes aos tratamentos para a sida, reagiram duramente às declarações de Bento XVI. “O Papa vive no século XXI?”, questionou Alain Fogué, daquele movimento. “As pessoas não vão seguir o que o Papa diz. "Ele vive no céu, mas nós vivemos na Terra”, acrescentou.


Judith Melby, da organização Christian Aid, criticou o Papa considerando que as suas declarações “enviam uma mensagem confusa a África, um continente onde a Igreja Católica é muito importante”. “A nossa posição é a de que a abstinência [defendida por Bento XVI como o meio para impedir a propagação da doença] é uma parte importante do conjunto das medidas, mas a abstinência por si só não vai impedir a transmissão do vírus HIV”, acrescentou.


Já o director executivo do Fundo Mundial de Luta contra a Sida, a tuberculose e o paludismo, Michael Kazatchine, pediu a Bento XVI que “retire as suas declarações”, que considerou “inaceitáveis”.“É uma negação da epidemia. E fazer essas declarações no continente onde vivem 70 por cento das pessoas infectadas pela doença é absolutamente inacreditável”.


1,9 milhões de pessoas foram infectadas com o vírus do HIV no ano passado na África subsariana onde vivem 22 milhões de seropositivos.


in Público online

terça-feira, março 10, 2009

Visita de José Eduardo dos Santos a Portugal

Sua Excelência, o
Ministro dos Negócios Estrangeiros
Dr. Luís Amado
Fax: 213 946 070
Lisboa, 4 de Março de 2009


Excelência,
Na ocorrência da visita do Presidente Angolano José Eduardo dos Santos a Portugal, a Amnistia
Internacional Portugal apela a V. Exa. que aborde alguns temas prementes pelos quais
demonstramos a nossa profunda preocupação.
As nossas preocupações prendem-se com três assuntos que consideramos da maior relevância:
Policiamento – ver nosso relatório “Acima da Lei – Responsabilização da Polícia em Angola” que
publicámos em Setembro de 2007 e relatam várias situações de violação de direitos humanos e
falta de responsabilização destas forças;
- Os desalojamentos forçados;
- O julgamento injusto de Fernando Lelo.
- Constrangimentos às Organizações da Sociedade Civil

(...)

..Assim começa a carta que a Amnistia Internacional Portugal dirige às autoridades portuguesas aquando da visita do líder de um dos países que mais preocupações levanta no que respeita aos DH nos dias de hoje.
Consulte o site www.amnistia-internacional.pt e leia todo o texto.

quarta-feira, março 04, 2009

TPI passa mandado para a captura do Presidente sudanês



O Tribunal Penal Internacional (TPI), sedeado em Haia, passou um mandado para a captura do Presidente sudanês, marechal de campo Omar al-Bashir.

Trata-se do primeiro Chefe de Estado em exercício a ser alvo de um mandado internacional de captura. E o procurador Luís Moreno-Ocampo garantira ter reunido provas suficientes para sustentar as acusações de genocídio formuladas contra o Presidente do mais extenso dos países africanos.

Sondagem do Blog do Grupo de Aveiro da AI: a Amnistia deve ou não pronunciar-se sobre o casamento entre homosexuais nesta fase da politica nacional?

Tomar posição será equivalente a morder a isca eleitoral do PS e pôr em causa a nossa imparcialidade e isenção?

Por outro lado... Ciganos, homosexuais, IVG, mutiliação, voos de rendição, ditaduras etc, será que há como não tomar posição? Não é justificado omiti-la só por outros terem também posição.

Será que esta questão não é politica mas sim uma questão de direitos humanos, sobre a qual devemos tomar posição pública, tal como devemos fazê-lo em todas as outras... e desse ponto de vista, bastará ter um enfoque estritamente jurídico (de direitos fundamentais) sem permitir leituras políticas?



Queremos saber a tua opinião!!

segunda-feira, março 02, 2009

Palhaços sem Fronteiras


Os Palhaços Sem Fronteiras são movimento iniciado há 16 anos na Catalunha, com muito mundo já feito. Uma das últimas visitas foi a El Salvador, entre Janeiro e agora: 40 representações em escolas, creches, hospitais, centros penais e pequenas aldeias, para um total de 7 mil crianças.
Cabul, Gaza, Kigali...
“Em alguns casos, quando chegávamos às povoações, estavam à nossa espera empoleiradas nas árvores. Noutros, famílias inteiras fizeram trajectos de várias horas, a pé, para ver a nossa actuação”, contou Júlio Pedrosa numa entrevista ao jornal digital Hoy.
Em Março vão a Montevideu, Uruguai. O programa inclui música, ilusionismo, magia. E a seguir vão a muitos mais sítios.

Desde 1993 que é assim, num mundo cada vez mais pequeno, porque, diz Didí, “a distância mais curta entre duas pessoas é o sorriso”.